YouTube: Workshop – Landscape Metrics in Practice

WS Landscape Metrics

Você perdeu o nosso Workshop – Landscape Metrics in Practice? Ou quer ver de novo?

Aproveite! Os vídeos estão disponíveis no YouTube!

Parte 1 – Apresentação e bases teóricas;
Parte 2 – ArcGIS (Patch-analyst, Patch Grid Analyst e V-Late);
Parte 3 – GRASS GIS (LandScape-connectivity), Scripts em R (moving window), QGis, QuantumGis.

LEEC participa de ação para educação ambiental

O LEEC tem um compromisso com a conscientização da sociedade sobre o cuidado e a preservação do meio ambiente. Ensinando as crianças, temos a chance de gerar adultos conscientes da necessidade da conservação ambiental e da sustentabilidade.

Assim, o prof. Milton C. Ribeiro, o Miltinho, esteve com a turminha do Pré 2 do colégio Claretiano, em Rio Claro/SP, no mês de abril. 

Em uma aula cheia de empolgação, Miltinho falou às crianças sobre alguns animais ameaçados de extinção, o porque deles estarem nessa situação e como os cientistas estão trabalhando para contribuir com a preservação deles. 

Atentos, os alunos aprenderam um pouco sobre alguns trabalhos desenvolvidos pelo LEEC, como o monitoramento de porcos do mato e aves no Pantanal e na Serra da Mantiqueira.

Fonte e fotos: Colégio Claretiano

Primeiro Workshop Brasileiro de Ecologia do Movimento (1st MEB – Movement Ecology Brazil) destacou a importância de pesquisas sobre o assunto no Brasil

Nos dias 17 e 18 de setembro de 2015 foi realizado o I Movement Ecology Brazil Workshop (I MEB) na UNESP, Rio Claro. O evento reuniu 104 participantes de pelo menos 30 instituições brasileiras e estrangeiras para promover o diálogo entre acadêmicos e profissionais da área de ecologia do movimento e conservação ambiental de modo a incentivar o intercâmbio científico no país e América Latina. Organizado pelo grupo de estudos em ecologia do movimento do Laboratório de Ecologia Espacial e Conservação, o workshop contou com palestras, mesas redondas e apresentação de trabalhos em forma de painéis, com participantes de diferentes áreas do conhecimento, como Biologia, Física, Ciência da Computação e Oceanografia. Entre os palestrantes convidados estiveram o Prof. Dr. Juan Morales, da Universidad Nacional del Comahue (Argentina), expoente na área de ecologia do movimento, o Prof. Dr. Milton Cezar Ribeiro, o Dr. Karl Mokross e o Dr. Alejandro E. Jahn, da UNESP, Rio Claro, o Prof. Dr. Marcus Vinícius Vieira, da UFRJ, o Prof. Dr. Luiz Gustavo Oliveira Santos, da UFMS, o Prof. Dr. Marcos Eleutério da Luz, da UFPR, e o Dr. Pavel Dodonov, da UESC.

Ficou claro ao final do evento o potencial dos ecossistemas brasileiros e dos diversos grupos de pesquisa para os avanços em ecologia do movimento. Apesar da maioria dos participantes focarem seus estudos em mamíferos e aves, outros grupos taxonômicos estão ganhando importância, como peixes, insetos e répteis, com tecnologias inovadoras de monitoramento. Durante o I MEB foi constantemente lembrado que o objetivo de estudos em ecologia do movimento deve ser prioritariamente a resposta de questões ecológicas para o melhor conhecimento de processos ecossistêmicos e conservação da biodiversidade. Destacou-se também a necessidade de aumento de colaborações com especialistas de outras áreas do conhecimento para suprir as dificuldades metodológicas, principalmente quanto à análise de dados de movimento. Os trabalhos apresentados no I MEB foram reunidos em um LIVRO de RESUMOS com 21 trabalhos desenvolvidos por 56 pesquisadores de instituições brasileiras e internacionais.

Para mais informações, acesse: www.leec.eco.br/meb

I MEB – Livro de Resumos Disponível

Já está disponível o livro de resumos com os trabalhos inscritos no I Workshop Brasileiro de Ecologia do Movimento (1st MEB – Movement Ecology Brazil). O livro reúne 21 trabalhos desenvolvidos por 56 pesquisadores de instituições brasileiras e internacionais.

Continue reading “I MEB – Livro de Resumos Disponível”

1st MEB – Movement Ecology Brazil

O I Workshop Brasileiro de Ecologia do Movimento (1st MEB – Movement Ecology Brazil) visa promover o diálogo entre acadêmicos e profisisonais da área de ecologia do movimento e conservação ambiental de modo a incentivar o intercâmbio científico no país e América Latina. O objetivo principal é reunir pesquisadores lidando com com diferentes táxons (vertebrados, invertebrados, plantas, fungos), em diferentes ambientes (fragmentados, contínuos, em terra, água ou ar), olhando para diferentes aspectos do movimento (forrageamento, movimento diário, dispersão, migração etc.), com diferentes métodos e olhando pra diferentes processos ecológicos e de manejo e conservação, para possibilitar interações e uma compreensão ampla do estado da arte dos estudos no Brasil e América Latina, bem como das dificuldades e potencialidades nesse campo.

Mais informações: www.leec.eco.br/meb

Continue reading “1st MEB – Movement Ecology Brazil”

LEEC and Movement Ecology Group on VII brazilian bat meeting

On May 25, 2015, the students Renata Muylaert (coordinator) and Patricia Rogeri (speaker) participated in the round table “Flying in Neotropical landscapes” along with Prof. Enrico Bernard (UFPE) and Prof. Ciro Libio (UFMA). During the discussion, several aspects of the use of space, mainly by fruit bats were mentioned. Prof. Ciro Libio discussed the choice of scales in the study of biologic responses to landscape using bats as models. Patricia Rogeri introduced the innovative method by which she will collect information about space use by a small fruit-eating bat in fragmented landscapes, and how she will assess inter-individual variations in the response of these bats to the landscape metric. Prof. Enrico Bernard presented the reality of the landscapes of the Brazilian Northeast Atlantic Forest, which has many small fragments amid an array of monoculture of sugarcane, a “not at all homogeneous” matrix. In this landscape, large fruit bats seem to take shelter in a variety of locations, both very close to the edges as in the forest. There is a dependence on forests for foraging. Though, perhaps due to lack of available shelter in the woods, bats seek shelter in urban buildings or isolated trees. It is noteworthy that the current condition of brazilian Northeast landscapes, highly fragmented area, it is not favorable to the presence of minor forest-dwelling bat species.

II Functional Diversity day

Many ecological studies focus on understand how environmental and spatial patterns influences biodiversity and ecological process. At this context, an approach that has been rising up in such studies is the use of functional traits to understanding the patterns of communities. On 11 march, 2015, it was conducted, at UNESP, in Rio Claro, the II Functional Diversity day. In this workshop, undergraduates, post-graduation students, and researchers of five Brazilian Universities (UNESP, USP, ESALQ/USP, UNIFAL and UFSCar) exposed and discussed the use of this approach on their researches. The lectures showed the high level of research that have been developed by such research groups and the discussions contributed both to the improvement of developing studies as in the design of futures projects.

programacao_fddayII

LEEC Meeting Day

​​Hello everyone,

Next week (March 16th and 17th, 2015) we will be discussing PhD and Master projects. Reminder that we will have seminars with visitor researchers and a Field Work Day.
Where: Celina Foresti Auditorium – Ecology Department,  UNESP/RC
Monday: 8:30 am – 6:00 pm
Tuesday: 7:00 am – 6:00 pm (Field Work Day – IPÊ Institute)

I look forward to seeing you!

Program: http://leec.eco.br/downloads/Leec_meeting_day_program.pdf